Comentários da Lição 1 (2o Trim/2018) por Pr Narcizo Liedke

6 de Abril de 2018

Preparação para o tempo do fim

Vamos estar juntos durante este trimestre estudando este tema que é essencial para nossa vida espiritual. Jesus, nos momentos finais de sua passagem pela Terra, fez uma promessa aos seus discípulos (João 14:1-4) … “virei e vos levarei…”, também apresentou sinais que indicariam que este dia estaria próximo.

Hoje podemos perceber que os sinais indicativos do retorno de Jesus à Terra se confirmam e as profecias também, especialmente as profecias de tempo como a dos 1260 anos e a dos 2300 anos que indicam que estamos vivendo o tempo do fim.

Seguramente o fim virá e devemos estar preparados para este evento (este é o objetivo das lições deste trimestre), contudo, mais do que nos concentrarmos “nas coisas que, em nossa compreensão, levarão à vinda de Cristo, devemos nos concentrar no próprio Cristo, o único que é essencial para nossa preparação.

Lição 1 – O conflito cósmico

O que habitualmente chamamos de “O Grande Conflito”, é o cenário no qual se desenrola o drama de nosso mundo e do Universo. Veremos que estamos diretamente envolvidos nesse conflito cósmico, e que apesar das lutas, fracassos e derrotas, um dia o conflito cessará e em Cristo será conquistada a vitória. O fim está próximo, Paulo escreve em sua carta aos Romanos: “Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos. Chegou a hora de vocês despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos. Vai alta a noite e vem chegando o dia… ” (Rm 13:11 e 12 NVI). Essa é a nossa cosmovisão, assim cremos e essa crença deveria permear nossa filosofia de vida, as decisões que tomamos, enfim, tudo que somos e fazemos, todos nossos anseios e aspirações deveriam estar definitivamente influenciados por essa cosmovisão.

A queda de um ser perfeito

Não há explicação para a origem do pecado, Paulo o caracteriza em 2Tess. 2:7 como o mistério da iniquidade. Ao dotar suas criaturas inteligentes com o livre arbítrio, o mal foi possível, mas não obrigatório.

Fora da realidade do livre-arbítrio concedido por Deus a todas as Suas criaturas inteligentes, não há razão para a queda de Lúcifer. Como Ellen G. White afirmou de maneira profunda: “É impossível explicar a origem do pecado de maneira a dar a razão de sua existência […]. O pecado é um intruso, por cuja presença nenhuma razão se pode dar. É misterioso, inexplicável; desculpá-lo corresponde a defendê-lo. Se para ele se pudesse encontrar desculpa, ou mostrar causa para a sua existência, deixaria de ser pecado” (O Grande Conflito, p. 492, 493).

Conhecimento e submissão

Apesar da Bíblia não revelar muito sobre a origem do mal, ela é mais explícita quando narra como o pecado surgiu na Terra.

O mais dramático na narrativa da queda de Adão e Eva é o fato de que eles sabiam o que era correto, Eva repetiu para Lúcifer as palavras ditas por Deus (“Dele não comereis, nem tocareis). Esse é o aspecto mais assustador acerca do pecado: decidimos agir contra a vontade Deus, mesmo sabendo qual é Sua orientação e vontade. Paulo ao escrever para Tiago deixa claro que pecado é rebeldia à orientação divina. Em Tiago 4:17 lemos: Portanto, aquele que sabe que deve fazer o bem e não faz nisso está pecando. É fundamental conhecer qual é a vontade de Deus e por vontade própria nos submetermos a ela.

Guerra no Céu e na Terra

O conflito cósmico não é uma guerra entre deuses, mas de uma criatura contra o Criador. Participamos deste conflito de duas maneiras: primeira: somos objeto do conflito, Deus quer a nossa posse e Lúcifer também. Satanás usa suas armas (ódio, engano, traição, mentira), Deus também usa suas armas (amor, verdade, paciência). Segunda: Precisamos decidir de que lado estamos. Eu escolho estar do lado de Deus.

Não nos esqueçamos que depois de ser derrotado por Cristo no Céu, Satanás procurou persegui-lo e derrota-lo não Terra. Após ser definitivamente derrotado na cruz passou a perseguir a Igreja (povo de Deus). É uma guerra que tem devastadora e continuará até sua derrota final quando Cristo retornar à Terra.

Ele está conosco todos os dias

No decorrer da história da igreja (mulher nas profecias), Satanás tem se lançado com fúria contra os fiéis. Foi assim no passado, é agora e será assim no tempo do fim. A profecia de 1260 anos (apoc. 12:6) indica um período de grande fúria, de Satanás, contra a igreja, para ser protegida a ela foi ao deserto onde Deus a sustentou.

Hoje vivemos momentos de aparente tranquilidade, em lugar de brutalizar a igreja com perseguição e morte, ele, Satanás, nos está conduzindo à mornidão espiritual e ao desfrute das delicias desta vida, que nos deliciam e nos despreocupam desta guerra cósmica que vivemos. Contudo, não continuará assim, em breve seremos atingidos com maior fúria, com mais dor e mais sofrimento. Não fique preocupado, aflito ou ansioso. Transcrevo a promessa de Deus de que não estaremos só, que jamais Ele nos abandonará.

“Nada, nem perseguição, nem fome ou morte pode nos separar do amor de Deus. A presença de Cristo conosco, seja agora ou no fim dos tempos, não significa que seremos poupados da dor, do sofrimento, das provações e até mesmo da morte. Ele nunca nos prometeu que estaríamos isentos dessas coisas nesta vida. Isso significa que, por meio de Jesus e do que Ele fez por nós, podemos viver com a esperança e a promessa de que Deus estará conosco nessas provações e que teremos a vida eterna no novo Céu e na nova Terra. ”

A lei e o evangelho

As palavras que identificam nossa igreja, também indicam a estreita relação entra a lei e o evangelho. “Sétimo dia” é uma referência ao quarto mandamento e a sua observância demonstra a sua validade e a validade da lei divina – todos mandamentos. “Adventista” é uma referência à nossa bem-aventurada esperança que é a volta de Jesus e isso só acontece porque jesus morreu para nos dar direito à vida, por mais pecadores que sejamos, isso é o evangelho.

Lei e evangelho são interdependentes e indicarão aqueles que fazem parte do povo de Deus nos momentos finais da história. É assim que Apoc. 14:12 os identifica: “Aqui está a perseverança dos santos, os que guardam os mandamentos de Deus e a fé e, Jesus.

Comentário final

Participamos do conflito cósmico, O GRANDE CONFLITO, não existe possibilidade de ficarmos indiferentes, neutros, ou estamos do lado de Deus que de antemão já é o lada vencedor ou fatalmente estaremos do lado que já está derrotado.

Toda guerra deixa sequelas, perdas e dor, mas, a garantia da vitória nos anima. Toda guerra é assustadora, mas, Deus garante que estará ao nosso lado. Nessa guerra nos sentimos fracos, mas, Deus através do Espirito Santo, nos garante força e poder.

Quando a história do mal terminar, viveremos como foi desejado por Deus, com amor, harmonia e paz.

Faço votos que você seja vencedor e que estejamos lá.