Comentários da Lição 12 (2o Trim/2017) por Flávio Reti

14 de junho de 2017

lição 12

Lição 12 –  O DIA DO SENHOR

-A lição dessa semana não tem um assunto sequente, ela traz vários tópicos do pensamento de Pedro

-Há duas maneiras de entendermos a expressão “dia do Senhor”

-Alguns entendem como o dia da volta de Jesus, a fim de buscar seus escolhidos

-Outros entendem como o dia do acerto de contas, depois do milênio

-E não existe um dia de juízo. O juízo já começou em 1844 de acordo com as profecias

-Esta primeira fase, o julgamento dos salvos, está em andamento no céu, pelos registros feitos

-Durante o milênio, os salvos, já no céu, vão julgar os ímpios (I Cor. 6:2)

-Existe sim um dia de acerto de contas, quando o ímpio receberá o merecido castigo

-Por vezes confundimos juízo, julgamento, com aplicação da sentença julgada, são coisas diferentes

-Então dizemos “O dia do juízo” como o dia da aplicação da sentença

-Bem, o juízo de Deus virá e depois dele vem a sentença implacavelmente

-E ai daquele que ficar para o julgamento que vem durante o milênio, depois da volta de Jesus

-No juízo divino não haverá impunidade, o mal será cortado pela raiz

-Será a aplicação de uma justiça que resolverá para sempre e em definitivo o problema do pecado

-Se você não quer temer a justiça de Deus, viva em conformidade com a sua lei e confie nele

-Estamos em terreno vantajoso, porque uma oferta de troca foi feita em nosso favor

-Cristo já pagou a nossa pena, nossa culpa, já nos libertou.

-Se já aceitamos essa ação de misericórdia, a graça de Jesus, a justiça não tem mais nada a exigir de nós

 

 

SÁBADO – A LINHA DA AUTORIDADE

-Entenda que autoridade não é poder. O estudo de hoje é sobre autoridade e não de poder

-Autoridade é o direito que alguém recebe de exercer determinada atividade

-Autoridade é conferida por alguém. O prefeito recebe autoridade do povo para governar a cidade

-O diploma conferido ao médico é o documento que o autoriza a clinicar. Ele tem autoridade para isso

-Poder é a força de executar, a capacidade de mandar, de exigir

-Há pessoas que tem autoridade, mas não tem poder de executar

-O contrário também, pessoas que tem poder, mas não tem autoridade de mandar executar

-E há pessoas que se arrogam poder e autoridade sem ter nenhum dos dois

-A pergunta é a seguinte: Que autoridade tinha Pedro para que creiamos no que ele escreveu?

-O dragão deu autoridade à besta, mas que autoridade tem satanás para conceder autoridade?

-Sua autoridade não é legítima, é arrogância dele, não vem de Deus

-Então, onde está a legitimidade da autoridade de Pedro?

-Foi o próprio Jesus que disse aos discípulos: Ide a todo mundo e pregai este evangelho

-E especificamente a Pedro Jesus disse: “Apascenta as minhas ovelhas”

-E tem mais: O que ele escreveu está de acordo com os demais profetas escolhidos por Deus

-Ele esteve pessoalmente com Jesus, foi testemunha ocular da vida de Jesus

-Pedro tinha uma incrível convicção em Jesus porque o viu ressuscitado, andou e comeu com ele

-O aprendizado de Pedro veio diretamente de Jesus, ele bebeu direto da fonte, era confiável

-Se hoje os escritos de Pedro fazem parte do cânon, ele tinha razão de sobra da inspiração de Deus

 

SEGUNDA – OS ESCARNECEDORES

-Se havia escarnecedores nos dias de Pedro, hoje muitos mais

-Por qualquer motivo eles já dizem: “Isso é coisa de crente”. “Crentes são todos fanáticos”

-Pedro e os demais apóstolos pregavam a breve volta de Jesus e ele estava demorando voltar

-Com certeza alguns comentavam desdenhando. Onde está a promessa de sua vinda?

-Mas muitos esperaram e não se desmoralizaram pela demora. Temos vários exemplos

-Adão e Eva esperavam em Caim o libertador prometido, e ele foi um assassino

-Os apóstolos esperavam Jesus voltar na sua geração e ele até hoje ainda não veio

-Ellen White e seus amigos esperavam Jesus naquela época, ao redor de 1844 e ele ainda não veio

-Da minha parte, eu me baseava na afirmação de Jesus “assim como foi nos dias de Noé”, assim será…

-Noé pregou 120 anos. Eu achava que Jesus viria em 1964, 120 anos depois de 1844

-Eu me batizei em 1962, estava ainda naquele fervor da expectativa da breve volta de Jesus

-Nem Adão e Eva, nem os apóstolos, nem Ellen White, nem eu me cansei de esperar

-Todos demais morreram na esperança de um dia ver Jesus, eu também ainda espero, vivo ou morto

-Que motivo temos nós de escarnecer dos ensinos de Jesus por causa da sua demora?

-Deus é eterno, 6.000 anos para ele é nada. Dez anos para mim é uma eternidade.

-Por causa dessa demora, pela nossa finidade, achamos que a promessa é balela, é invencionice

-E escarnecemos. Escarnecer é o mesmo que zombar, ridicularizar, motejar, caçoar, avacalhar, troçar

-Mas os sinais estão aí dando provas de que em breve virá. O mundo está amadurecendo cada vez mais

-No cronograma de Deus tudo está transcorrendo conforme o previsto, ele está no controle

-Um pouco mais de paciência e os que perseverarem verão a glória de Deus

 

TERÇA – MIL ANOS COMO UM DIA

-O dia e a hora da volta de Jesus Deus já sabia antes de Adão pecar

-E pode ter certeza, Não está atrasada, não será adiantada, e não será postergada

-O plano de Deus nunca precisou de correção, nunca foi refeito, sempre está atualizado

-Ellen White disse que a data poderia ter sido antecipada e Jesus já poderia ter retornado, mas não foi

-Deus tem determinado um dia que com justiça há de julgar o mundo (Atos 17:31)

-Jesus nos assegurou que virá outra vez, mas ele mesmo adiantou: O dia e a hora ninguém sabe

-Ele também não disse que todo o mundo seria convertido, mas que o evangelho seria pregado…

-Se dermos o evangelho ao mundo, estaremos apressando a volta de Jesus

-Nós só falamos em aguardar a volta de Jesus, por que não falamos em apressar a volta dele?

-Houvesse a igreja de Cristo feito a obra que lhe era designada, como Ele ordenou, o mundo inteiro haveria sido antes advertido, e o Senhor Jesus teria vindo à Terra em poder e grande glória” (O Desejado de Todas as Nações, 633 e 634).

-Para nós 6.000 anos de pecado é uma longa espera, para Deus 1000 anos é como um dia (Sal.90:4)

-O tempo parece longo para nós porque temos vida curta, mas é nada para Deus que é eterno

-Quando vemos nesta terra sofrimento sem fim, injustiça, perseguição, tudo parece demorado

-A conta não fechou ainda, quem sabe se o sétimo milênio não será no céu?

-Pedro asseverou que Deus não iria retardar a vinda de Jesus como muitos a julgavam demorada

-Portanto ela ainda está dentro do cronograma de Deus, ele sabe melhor do que ninguém

-Não veio nos dias dos discípulos, não veio nos dias os reformadores, não veio nos dias de Ellen White

-E ainda não veio em nossos dias, mas a cada dia que passa estamos mais perto, isso é matemático

-Escarneça, zombe, faça chacota quem quiser, mas o dia está chegando celeremente

 

QUARTA – E DAÍ? (E então?)

-E daí, aonde vamos chegar com esses comentários de Pedro sobre os escarnecedores?

-E sobre aqueles que desanimam pelo caminho devido considerar longa a espera?

-E aqueles que marcam datas, como muitas vezes já fizeram outros, e Cristo não veio ainda?

-Pior do que marcar data é não prestar atenção na volta de Jesus e não se preparar para ela

-Marcar data está errado, isso já aconteceu em 1844, aconteceu em 12 de Outubro de 2015

-Várias tentativas de descobrir o dia da volta de Jesus já foram feitas e todas fracassaram

-Mas a atitude ainda pior é a indiferença em relação à sua vinda, um evento tão grandioso pela frente

-Através desse mau costume de marcação de data cai em descrédito a pregação do evangelho

-E cai também na apatia, na apostasia os marcadores de datas (apressadinhos)

-Isso dá lugar ao escarnecimento contra o evangelho, permite o mundanismo tomar conta da vida

-Assuntos seculares tomam o lugar da fé e as coisas espirituais são deixadas de lado

-A mornidão entra na vida dos crentes e a rotina assume o lugar da vida de expectativa da volta de Jesus

-Aí desaparece o “assim diz o Senhor” e entra o “eu prefiro assim, eu penso assim”

-Logo, decisão minha, nem um nem outro, mas “eu e minha casa serviremos ao Senhor”

 

QUINTA – O APELO FINAL

-Nos seus dias as escrituras também eram desmerecidas como ainda são hoje

-Especialmente os escritos de Paulo que não fora um apóstolo, mas que entrou para a igreja depois

-Além do mais, ele escrevia muito, e com linguagem rebuscada que dava margem a polêmicas

-Ele era fariseu profundo cujos escritos ficava difícil para o povo leigo entender

-Pedro comenta que os escritos de Paulo podem apresentar dificuldade de compreensão

-E Pedro, longe de ter inveja de Paulo, saiu-lhe em defesa

-E não é a mesma coisa hoje com os escritos de Ellen White para a igreja moderna?

-Assim como Paulo era criticado, não é Ellen White também?

-Já faz um século desde sua morte, mas ela continua sendo o centro da crítica contra nossa igreja

-Muitos irmãos (e até alguns ministros) não aceitam o que ela escreveu

-Será que está faltando um PEDRO moderno para defender as Escrituras e o Espírito de Profecia?

-Quanto mais demora a vinda de Jesus, mais criticada será a igreja e mais passível de escarnecedores

-E quando Pedro falava de falsos ensinadores, era daqueles que mal interpretavam os escritos de Paulo

-Paulo fala sobre a graça e a liberdade e eles assumiam que era uma licença para pecar

-E Pedro arremata: Aqueles que torcem seus escritos correm o risco de sua própria perdição (II Ped.3:16)

-Não seria também a mesma coisa, aqueles que torcem os escritos de EW também correrem riscos?

 

SEXTA – RESUMO

-Os temas desta lição são temas isolados e quase impossível de ligar um ao outro

-Autoridade de Pedro, a demora, os escarnecedores, ideia de tempo para Deus, o conselho de Pedro

-O destaque maior fica por conta dos escarnecedores contra a demora da vinda de Jesus

-E contra a palavra profética, de Paulo, de Pedro mesmo de Ellen White

-Mas Deus tem controle de tudo, e no seu tempo tudo se esclarecerá. Ele virá conforme prometeu