História da Igreja do IASP

IGREJA

Setembro de 1973. O Instituto Adventista São Paulo, pouco tempo depois de ter deixado o nome Ginásio Adventista Campineiro, contava com cerca de 350 alunos, 80 professores e funcionários e por volta de 200 membros da comunidade do Parque Ortolândia, então um bairro do município de Sumaré.

A cada sábado essa congregação de pouco mais de 500 pessoas reunia-se no Salão de Atos da instituição, conhecido como “Capela”, atualmente parte integrante da biblioteca (anteriormente “Prédio Central”). Era nítida a necessidade de mudança, precisávamos de um local dedicado exclusivamente à adoração à Deus. Assim, numa reunião pequena, mas significativa, Pr. Tércio Sarli, diretor geral do IASP à época, Dimas Targas, tesoureiro do IASP, e Pr. Leondenis Vendramin, pastor da Igreja, considerando os fatos e a sugestão de muitos, tomaram o voto de iniciarem a construção do templo.

O projeto arquitetônico foi um presente de um engenheiro europeu à Igreja: Franz Andreas Pestalozzi, um engenheiro suíço radicado no Brasil. Esse foi o início de uma série de milagres e intervenções inimagináveis de Deus. Dentre elas destacam-se a doação de toda a parte elétrica original da igreja, a doação de todos os vidros, esquadrias e portas, a doação, pelo irmão Johannes Hess, do material e mão de obra de toda a pintura original e a doação dos mais de 3 milhões de cruzeiros levantados pelos membros e amigos da Igreja, sob coordenação do Pr. Vendramin e usados desde a contratação do primeiro pedreiro, irmão Geraldo Targas, até o fechamento do livro caixa da construção.

A concretização final desses feitos se deu em 13 de Julho de 1976: após um prazo recorde de 26 meses a igreja do IASP estava sendo oficialmente inaugurada, totalmente concluída e paga.

iasp2

Em 1998, 22 anos após a inauguração da igreja, iniciava-se o processo que se transformaria numa reforma completa do templo. As obras acabaram tomando cerca de 7 anos, passando pela reavaliação estrutural da Igreja, remodelagem e construção do piso, reconfecção do projeto elétrico e hidráulico, construção das salas de apoio, colocação de carpete e forrações, projeto e instalação do sistema de som e troca dos bancos, entre outros detalhes estéticos e de acabamento.

37 anos após a inauguração a igreja reabriu suas portas com toda sua significância em prol da Causa.

Muitos irmãos, membros dessa igreja, deram tudo de si pela obra, financeiramente e emocionalmente. Muitos profissionais doaram seus talentos e como forma de gratidão e reconhecimento à Deus por tantos dons que deu à sua Igreja, formaram uma comissão multidisciplinar que trabalhou com afinco, incontáveis horas, na condução da reforma. Muitos amigos dessa igreja, vários não adventistas, contribuíram de alguma forma e nota-se que mesmo em construção, um prédio pode servir de ferramenta de evangelização e aproximação de pessoas à Cristo. Esse templo, por si, é só um prédio. E foram nesses momentos que as palavras de Cristo ressoaram como nunca entre nosso povo:

“Edificarei minha Igreja sobre a rocha e as portas do inferno jamais prevalecerão sobre ela.” Mateus 16:18