Meditação diária de 01/02/2018 por Flávio Reti

1 de Fevereiro de 2018

01 DE FEVEREIRO

Como uma chimpanzé (Pan troglodytes)

Salmos 119:11 “Escondi a tua palavra no meu coração para não pecar contra Ti”

 

Em 1984, havia em Atlanta, no Estado da Georgia, USA, no Yerkes Primate Center, uma macaca chimpanzé, que trabalhava num estudo experimental sobre a capacidade linguística dos macacos. A chimpanzé de nome Lana tinha um teclado de computador no qual ela operava. Cada tecla representava uma palavra diferente e Lana aprendeu juntar as palavras de cada tecla formando frases e pedir o que ela queria, comida como sempre, e também respondia instruções que lhe eram apresentadas num painel. Certa ocasião Lana pediu uma bebida de várias maneiras. Seu treinador colocou um repolho na sua vasilha de comida e disse que havia colocado ração para macacos. Ela inspecionou a vasilha e respondeu apertando os botões com a mensagem: “Tire o repolho da vasilha”. Ela aprendeu pedir música, sabia pedir banana e outros alimentos. No laboratório, Lana não se cansava de futricar no computador dia e noite, como se conversasse com ele. Uma câmera foi instalada no seu “laboratório” para registrar suas atividades enquanto conversava com o computador durante a noite. Se foi possível ensinar Lana a expressar frases simples pedindo comida e outras coisas, seria até fácil ensinar-lhe passagens bíblicas para que ela repetisse ou escrevesse. A pergunta é se os versos teriam, para ela, o mesmo significado que têm para nós? Você deve ter respondido que não, mas será que você pensa no significado deles quando recita de cor, só porque memorizou como faz a macaca? Repetidos assim automaticamente, eles nada significam para nós mais do que significariam para a chimpanzé. Agora, se os textos da palavra de Deus são guardados na memória e no coração e nós nos valemos deles ao longo de nossas lutas diárias, como Jesus fazia ao citar as escrituras, então, seremos algo mais importante do que macaca apertando botões decorados.

A vida do crente tem que ser uma vida consciente do que está fazendo, do que tem em mente, de quem está nos seus pensamentos, quem está no seu relacionamento enquanto vai pensando nas tarefas do dia. A vida cristã exige uma vida de comunhão, de relacionamento com Jesus, de confiança nele e de esperança nas suas promessas. Afinal, a macaca Lana não agia assim, era decoreba pura, sem sentimento e sem arrazoamento. E como você age? Pode responder agora, ou prefere pensar?