Meditação diária de 02/12/2017 por Flávio Reti

2 de dezembro de 2017

56999

02 de dezembro
Dia da astronomia

Isaías 47:13   “Cansaste-te na multidão dos teus conselhos; levantem-se, pois, agora, e te salvem os astrólogos que contemplam os astros e os que nas luas novas prognosticam os que há de vir sobre ti”

Por uma mera coincidência, o dia da astronomia recai no mesmo dia em que se comemora o aniversário de dom Pedro II, imperador do Brasil e que era um astrônomo amador. A palavra astronomia significa em grego “lei das estrelas” e é pura física e matemática porque envolve os planetas, as estrelas, as galáxias, envolve telescópios, missões espaciais e grandes descobertas no espaço infinito. Tem muito a ver com a evolução dos corpos espaciais, com a composição, distância, a movimentação dos corpos e de outras matérias espalhados pelo universo. É uma ciência muito antiga, desde os primórdios da humanidade. Galileu Galilei é conhecido nos meios astronômicos como o pai da astronomia moderna e um grande cientista de todos os tempos. Ele foi importante ao apoiar a teoria de Nicolau Copérnico de que o sol era o centro do nosso sistema planetário e não a terra como se imaginava. Numa noite estrelada, longe do clarão das cidades, tente olhar para o céu, mesmo a olho nu, e veja quantas estrelas e alguns planetas podem ser vistos! Cuidado para não confundir astronomia com astrologia, porque são coisas bem diferentes. Astronomia, como já foi dito, se baseia na matemática e na física, enquanto a astrologia não passa de especulação. As duas são tão diferentes uma da outra que a única coisa que têm igual são as cinco primeiras letras. A astrologia brinca com um grupo de astros tentando identificar alguma relação da posição deles no espaço e o comportamento das pessoas aqui na terra, pura especulação. Tem muito a ver com o aspecto místico e com as artes divinatórias.

Desde os dias de Moisés, Deus havia proibido qualquer relação com astrologia, veja o texto: Se no meio de ti, em alguma das tuas cidades que te dá o Senhor teu Deus, for encontrado algum homem ou mulher que tenha feito o que é mau aos olhos do Senhor teu Deus, transgredindo o seu pacto, que tenha ido e servido a outros deuses, adorando-os, a eles, ou ao sol, ou à lua, ou a qualquer astro do exército do céu (o que não ordenei), e isso te for denunciado, e o ouvires, então o inquirirás bem; e eis que, sendo realmente verdade que se fez tal abominação em Israel, então levarás às tuas portas o homem, ou a mulher, que tiver cometido esta maldade e apedrejarás o tal homem, ou mulher, até que morra.

Quando o rei Ezequias esteve doente e o Senhor por meio de Isaías disse que ele sararia, o rei pediu um sinal de que o Senhor o sararia. Isaías, então, disse o seguinte: É normal o sol declinar e se pôr no horizonte, mas não é normal ele fazer o movimento contrário, mas assim será como prova de que o Senhor cumprirá sua palavra. Assim aconteceu, o relógio de sol de Ezequias voltou dez graus. Lá “nos férteis vales do Tigre e do Eufrates habitava um antigo povo que, embora nesse tempo estivesse sujeito à Assíria, estava destinado a governar o mundo. Havia entre o seu povo homens sábios que davam muita atenção ao estudo da astronomia e quando notaram que a sombra do quadrante solar havia regredido dez graus, ficaram grandemente maravilhados. Seu rei, Merodaque-Baladã, tendo sido informado de que este milagre se realizara como um sinal ao rei de Judá de que o Deus do Céu lhe havia assegurado nova etapa de vida, enviou embaixadores a Ezequias a fim de com ele se congratular por seu restabelecimento e se informar, se possível, mais a respeito do Deus que realizava tão grande maravilha” (Profetas e Reis, p.344).  A visita desses mensageiros do governante de tão distante terra dava a Ezequias a oportunidade de celebrar o Deus vivo. Quão fácil lhe teria sido falar-lhes de Deus, o sustentador de todas as coisas criadas, por cujo favor sua própria vida tinha sido poupada, quando todas as outras esperanças haviam desaparecido. Que momentosas transformações poderiam ter ocorrido, caso esses pesquisadores da verdade, vindos das planícies da Caldéia, fossem levados ao conhecimento da suprema soberania do Deus vivo!

Mas o orgulho e a vaidade tomaram posse do coração de Ezequias e em exaltação própria ele nada disse do milagre realizado, antes mostrou toda sua glória. Isaías o reprendeu por isso e avisou-o de que tudo aquilo que os mensageiros de Merodaque-Baladã viram em sua casa um dia seria levado para Babilônia e assim aconteceu na invasão de Jerusalém por Nabucodonozor. Fica aqui uma lição para nós, a de aproveitar as oportunidades que Deus nos dá para testemunharmos. Nossa vida é um testemunho, basta apenas mostrar isso aos nossos espectadores, basta deixar transparecer. Eles estão nos observando.