Meditação diária de 04/09/2017 por Flávio Reti

4 de setembro de 2017

download (11)

04 de setembro

Dia de Moisés

1:24   “Pela fé, Moisés, quando já homem feito, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, preferindo ser maltratado junto com o povo de Deus a usufruir prazeres transitórios do pecado”

Libertador, Estadista, historiador, poeta, moralista e legislador hebreu, o maior vulto do antigo Testamento. Deus o usou para formar, de uma raça de escravos egípcios e sob as maiores dificuldades, uma nação agressiva e poderosa que alterou completamente o curso da humanidade. A história de Moisés ocupa a sétima parte dos livros da bíblia (Gênesis, Jó, Êxodo, Levítico, Números, Deuteronômio). Ele merece a fama de ter sido um dos maiores homens de todas as épocas.

A parte mais bonita da história de Moisés foi seu encontro com Deus no topo do Monte Sinai. Ele havia passado 40 anos no Egito, 40 anos no deserto de Midiã e agora com 80 anos Deus o chamou para uma missão aparentemente impossível, desafiadora, que era tirar os filhos de Israel das garras do Faraó que os estava escravizando porque estava na hora de cumprir a promessa feita aos patriarcas Abraão, Isaque e Jacó. Moisés foi o protagonista dessa façanha e uma nova nação estava nascendo. A constituição desse novo povo foi redigida pelo próprio Deus e passada a Moisés, apenas ratificada pelo voto popular, ao dizerem: “Tudo quanto o Senhor falou, faremos” (Êx.19:8). Foram 40 dias, enquanto Moisés esteve no monte e Deus comunicava suas ordens e depois foram 40 anos de apostasia vagueando pelo deserto. A saga de Israel tem material para escrever ainda muitos livros além dos que já foram escritos. A história maior da vida de Moisés se desenrola enquanto ele atravessa o espaço depois do mar vermelho até a terra de Canaã. A península do Sinai ocupa uma área de 200 quilômetros de largura. Hoje, a estrada que liga o Egito à Palestina pode ser percorrida de caro em 2 horas, sendo assim, daria para ir e voltar no mesmo dia, no entanto os retirantes judeus passaram 40 anos rodeando a península antes de entrar de posse da terra. Por que, então, Moisés se permitiu demorar tanto tempo? A explicação que encontramos nos próprios escritos de Moisés dão conta de que os israelitas tiveram que vaguear tanto tempo como punição pela murmuração contra Deus e ficou decidido que dos que saíram do Egito ninguém entraria na terra, exceto dois homens, Josué e Caleb. Nem Moisés entrou porque desobedeceu batendo na rocha em busca de água, quando a expressa ordem de Deus era que falasse com a rocha.

Mas quando Jesus se transfigurou diante de seus discípulos, lá estavam Moisés e Elias (Luc.9:10) como representantes do povo de Deus de todas as épocas. Elias representando os que não passarão pela morte até a vinda de Cristo e Moisés representando aqueles que morreram e ressuscitarão na volta de Jesus. Podemos concluir que da parte de Deus Moisés não foi esquecido. Isso nos faz pensar que também estamos inscritos nos planos de Deus e no momento oportuno nós também seremos lembrados, afinal, está dito pelo profeta Isaías que “quem quiser e ouvir comerá do produto da nova terra” (Is.1:19). Se formos fieis, um dia, na eternidade, teremos a oportunidade de nos encontrar com Moisés. Poderemos ouvir dele mesmo sua história que aqui muitas vezes é contestada pelos céticos. Vamos poder perguntar como foi a passagem pelo mar em seco, como foi receber de Deus as tábuas da lei, como foi observar a terra prometida e não entrar nela e ele nos dirá tudo desde sua criação no Egito até sua ressurreição. Eu quero estar lá para esta e outras experiências com os santos de Deus que já passaram por esta terra. O que pensa você desse plano de estar um dia no céu? Pretensão? Utopia? Ou uma possibilidade concreta? Vamos aguardar para ver? “Tenho para vós palavras de animação, meus irmãos. Devemos avançar com fé e esperança, esperando de Deus grandes coisas. O inimigo buscará de toda maneira impedir os esforços feitos para a propagação da verdade, mas na força do Senhor podeis alcançar êxito” (A Igreja Remanescente, p.76). Um dia os céus se abrirão e nós veremos nosso bendito salvador trazendo salvação a todos que aguardaram tanto tempo a sua vida, para isso, vale o preparo de agora.