Meditação diária de 28/11/2017 por Flávio Reti

28 de novembro de 2017

DSC5852-1

28 de novembro
Dia do soldado desconhecido

II Timóteio 2:3   “Sofre comigo como bom soldado de Jesus Cristo”

Quem conhece a cidade Washington, nos Estados Unidos e visitou o cemitério de Arlington, deve ter visto lá, além de milhares de cruzes brancas espalhadas pelo gramado muito bem cuidado, o memorial ao soldado desconhecido e nele um sentinela diuturnamente prestando homenagem ao soldado desconhecido e morto em favor de sua pátria. Os turistas se aglomeram para ver a performance do sentinela e a troca da guarda. Alguma coisa curiosa e bonita de se ver.

Mas, pensando friamente, de que vale toda homenagem a um soldado morto? Ou a milhares de soldados mortos como no caso dos americanos?

Essa data tem como objetivo prestar honras à lembrança de soldados que perderam a vida lutando pelos seus países e cujos corpos não foram identificados. Quando há uma guerra, normalmente soldados morrem combatendo e não são transportados para suas terras de origem para que se faça um funeral descente. Eles são enterrados por lá e as famílias só recebem uma nota dando notícia e encerrando por aí. Assim, muitos países resolvem prestar homenagem a esses heróis anônimos construindo monumentos, que muitas vezes ficam conhecidos como “monumento ao soldado desconhecido” ou túmulo do soldado desconhecido. Na verdade, muitos desses monumentos são simbólicos, nem são túmulos de verdade. Raramente algum deles guardam os restos mortais de alguns soldados. Esse tipo de homenagem aconteceu primeiro na Inglaterra, quando um soldado desconhecido morreu combatendo na I guerra mundial e foi enterrado na Abadia de Westminster e com isso o reino unido prestou sua homenagem a todos os soldados que morreram na guerra. No Brasil existe também um monumento aos mortos da segunda guerra mundial, no Rio de Janeiro. A guerra aconteceu em 1940 e terminou em 1945 e só 15 anos depois, em 1960, o Estado do Rio inaugurou um monumento aos mortos da II guerra Mundial. Da primeira guerra mundial nem se lembraram dos que morreram. Lá, nesse monumento, existe uma urna funerária com restos mortais de soldados não identificados simbolizando os muitos soldados desconhecidos que morreram lutando pelo Brasil. Um dos mais famosos túmulos de Soldado Desconhecido, atualmente, está sob o Arco do Triunfo, em Paris, que foi construído em 1921 para honrar os mortos não identificados do conflito ocorrido antes da Primeira Guerra Mundial.

A bíblia registra muitas guerras ao longo da história de Israel. Somente no caso dos Assírios, numa só noite, morreram 185.000 soldados feridos pelo anjo do Senhor (II Re.10:35). De quantos desses, de que guerra, você já ouviu falar em homenagem ao soldado desconhecido das guerras de Israel? Não era costume dos Israelitas homenagear os mortos, quando muito levantavam um monte de pedras encima da sepultura para marcar o local e trazer alguma lembrança.

Se somos soldados de Cristo, para ele não existe túmulo de soldados algum desconhecido. Todos os mortos em Cristo são conhecidos e têm seus nomes muito bem arquivados e sabidos.

Dentro de pouco tempo Jesus virá para salvar Seus filhos e dar-lhes o toque final da imortalidade. Este corpo corruptível se revestirá da incorruptibilidade, e este corpo mortal se revestirá da imortalidade. As sepulturas se abrirão, e os mortos sairão vitoriosos, clamando: “Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?” (I Cor. 15:55). Os nossos queridos, que dormem em Jesus, sairão revestidos da imortalidade” (Conselhos sobre Mordomia, p.350). Assim como Deus enviou um anjo poderoso para guardar a sepultura de Jesus e para chama-lo à vida naquele domingo da manhã da ressurreição, há também um anjo que guardará nossa sepultura e estará pronto para dizer naquele dia: “Flavio Reti, teu pai te chama”.

Agora mesmo, os casos de muitos estão sendo examinados perante Deus, pois eles terão de dormir em suas sepulturas por um pequeno período de tempo. Nossa preocupação não deve ser com a morte em si, mas se minha alma está purificada de sua contaminação. Se meus pecados foram confessados e se eu me arrependi deles diante de Deus, para que possam ser apagados agora mesmo. Sabem, o tempo está correndo e a fila está andando. Logo chegará nossa vez e quando chegar, qual será a solução para nosso caso? Haverá um anjo guardando nossa sepultura ou seremos deixados para trás como todos os ímpios? A escolha é nossa e tem que ser feita agora, enquanto temos consciência da vida. Enquanto sabemos que Cristo virá e que uma eternidade nos aguarda no céu. Ou que uma destruição total nos aguarda no final juntamente com satanás e seus anjos. É agora, é hoje. A fila está andando, já disse.